barra turquza.png
Câncer de pele
O QUE É CÂNCER DE PELE

Câncer de pele é o termo coloquial que designa a transformação maligna de determinadas células na pele, que passam a apresentar um crescimento desordenado, muitas vezes com potencial invasivo e risco de produzir progressão de doença localmente e metástases à distância, bem como comprometer gravemente a saúde e, em pior grau, resultar em morte.

O médico dermatologista tem o papel fundamental de fazer a prevenção (orientando o paciente sobre a importância da fotoproteção), o diagnóstico precoce de lesões precursoras do câncer e o tratamento cirúrgico de casos em fase inicial. Em casos avançados, o paciente deverá ser encaminhado a um cirurgião oncológico e equipe de oncologia. 

O QUE É CÂNCER DE PELE

Câncer de pele é o termo coloquial que designa a transformação maligna de determinadas células na pele, que passam a apresentar um crescimento desordenado, muitas vezes com potencial invasivo e risco de produzir progressão de doença localmente e metástases à distância, bem como comprometer gravemente a saúde e, em pior grau, resultar em morte.

O médico dermatologista tem o papel fundamental de fazer a prevenção (orientando o paciente sobre a importância da fotoproteção), o diagnóstico precoce de lesões precursoras do câncer e o tratamento cirúrgico de casos em fase inicial. Em casos avançados, o paciente deverá ser encaminhado a um cirurgião oncológico e equipe de oncologia. 

Queratose actínica

(lesão pré-cancerígena)

Queratoses solares ou actínicas são lesões intermediárias, escamosas aderentes, ásperas, secas bem demarcadas, isoladas ou múltiplas que ocorrem na pele de adultos expostos repetidamente ao sol. Essas queratoses podem transformar-se em carcinomas e, em seguida, progredir para câncer invasivo.

Tratamento

Quimioterapia tópica (requer período considerável para regressão da lesão), criocirurgia (altamente eficaz, pode produzir manchas hipopigmentadas duradouras na pele), terapia fotodinâmica (eficaz, mas incômoda e dolorosa) e tratamentos minimamente invasivos cirúrgicos como eletrocirurgia e laser ablativo - assegura maior índice de cura, como menor tendência a formação de cicatrizes e resultados bastante satisfatórios.

O tratamento é de suma importância porque são consideradas lesões intermediárias e precursoras dos CARCINOMAS de pele. 

Carcinoma

(câncer epitelial cutâneo)

Os carcinomas (Carcinoma Basocelular e Carcinoma Espinocelular) compõem o  subgrupo das neoplasias epiteliais mais comuns e recorrentes, diretamente ligadas à modificação e à replicação celular de forma desordenada produzida pela radiação solar.  

Tem evolução rápida, podendo se desenvolver em algumas semanas, e geralmente é doloroso e/ou hipersensível ao toque. Podem causar destruição local de tecidos na pele e possuem significativo potencial metastático, especialmente no Carcinoma Espinocelular. 

    

Tratamento

Ressecção cirúrgica. dependendo da localização e da extensão da lesão. 

 

As margens de segurança para a ressecção são definidas de acordo com as diretrizes mundiais de Estadiamento destas neoplasias cutâneas.

Melanoma

(câncer derivado da linhagem de células névicas da pele)

O melanoma cutâneo pode ser uma neoplasia com comportamento bastante agressivo, dependendo do seu estado no momento do diagnóstico. Portanto, é de suma importância a sua prevenção e o diagnóstico precoce.

O potencial de cura está diretamente relacionado com o tamanho e a profundidade da invasão tumoral. O diagnóstico precoce na fase de crescimento inicial do melanoma (quando ele é minimamente invasivo) permite um prognóstico favorável. Toda lesão pigmentada de pele deve ser analisada, considerando sua simetria, borda, cor, diâmetro, padrão de crescimento e elevação, principalmente em pacientes com fatores de risco para melanoma. 

Tratamento

O diagnóstico e o tratamento cirúrgico precoces são as melhores armas contra a progressão perigosa desta neoplasia.

COMO CADA UM SE PARECE
O câncer de pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a própria pele e saber em quais regiões existem pintas é importante para detectar precocemente qualquer irregularidade. No entanto, nenhum exame caseiro substitui o exame clínico feito por um médico e é a biópsia que pode confirmar o diagnóstico de câncer de pele.
Normalidade
Evolução dos nevos.jpg
Nevo normal: é um pequeno ponto marrom que surge nas primeiras décadas da vida. Pode ser plano ou elevado e normalmente é redondo.
Queratose actiníca: é a lesão pré-cancerígena mais comum. Escamosa, com cores variadas, pode evoluir para carcinoma espinocelular (de células escamosas).
Nevo displásico: é uma pinta não cancerígena que se assemelha a um melanoma, com cores, formatos e bordas não usuais. Precisa de acompanhamento médico periódico.
Carcinoma basocelular: é o câncer de pele mais comum, não fatal. Parece uma pápula vermelha e brilhosa, que pode sangrar facilmente.
Carcinoma espinocelular: é um câncer raramente fatal. Pode parecer com verruga ou ferida espessa e descamativa, que não cicatriza e sangra facilmente.
Melanoma: é um câncer muito perigoso, podendo ser fatal. Apresenta variedade de cores e alteração de forma e tamanho, com assimetria e bordas mal definidas.
Agressividade
Fonte: Dermatologia de Fitzpatrick : atlas e texto. Klaus Wolff, Richard Allen Johnson. 

Importante!

Problemas de pele não devem ser tratados de maneira superficial. Há procedimentos que parecem simples, mas podem causar danos permanentes se forem mal recomendados ou realizados por pessoas sem capacitação. Para que seja feito o correto diagnóstico e a indicação do melhor tratamento para cada caso, agende uma consulta com um médico dermatologista.

Saiba mais:

SOBRE PINTAS (NEVOS) 

SOBRE FOTOPROTEÇÃO 

SOBRE CRIOTERAPIA